Ministro rebate ministra: “Não se deve misturar ciência com religião”

Ministro rebate ministra: “Não se deve misturar ciência com religião”

Nessa quinta-feira, o ministro da Ciência e Tecnologia e ex-astronauta Marcos Pontes comentou uma recente fala da colega de governo, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves: “Não se deve misturar ciência com religião”.

Pontes se referia a um vídeo que tem circulado nas redes sociais, no qual ela afirma que “a Igreja Evangélica perdeu espaço na História quando deixamos a Teoria da Evolução entrar nas escolas, não questionamos e não fomos ocupar a ciência”.

Em entrevista em uma rádio paulista, Pontes contrapôs a declaração da colega: “Ela deve ter falado isso em algum tipo de contexto que eu não sei exatamente. Mas, do ponto-de-vista da ciência, são muitas décadas de estudo para formar a teoria da evolução”.

Por meio de nota, o Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos argumentou que a declaração de sua titular ocorreu “no contexto de uma exposição teológica”, sem relação com políticas públicas que serão fomentadas pela pasta. Disse, ainda, que não há relação entre as funções de Damares como líder religiosa e gestora pública”.

O livro “Sobre a Origem das Espécies Através da Seleção Natural”, publicado em 1859 pelo pesquisador britânico Charles Darwn, é considerado o precursor da chamada “teoria da evolução”.

A obra descreve como as formas de vida no planeta mudam e se transformam com o passar do tempo, passando para as próximas gerações mutações genéticas que sobrevivem e se adaptam às condições ambientais para formar espécies diferentes.

Assim como na época em que foram publicadas, as ideias de Darwin entram em choque até hoje com grupos religiosos, que acreditam que essas ideias entram em conflito com a descrição do livro de Gênesis, na Bíblia, a respeito de como Deus criou os céus, a terra, os animais e o ser humano.

Fonte: Jornal O Sul